ESTÁGIO DE ORQUESTRA DE CORDAS

Estágio Orquestra de Cordas

O Estágio Orquestra de Cordas é realizado em parceria entre a Escola de Artes SAMP e a Escola de Música do Orfeão de Leiria com o Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus, e decorrerá de 17 a 21 de dezembro de 2018 na Sede do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus.

O principal objetivo desta iniciativa é proporcionar uma oportunidade de partilhar novas experiências musicais importantes para a formação dos alunos/executantes e a possibilidade de adquirirem noções importantes ao seu desenvolvimento musical.

Neste estágio, os participantes têm a possibilidade de trabalhar um repertório destinado à formação de orquestra de cordas com professores de elevada experiência artística das classes de cordas de ambas as escolas, o que proporcionará, deste modo, uma oportunidade de partilhar novas experiências musicais importantes para a sua formação.

O Estágio destina-se a todos os estudantes de música, independentemente do seu nível musical, e será dirigido pelos Maestros Daniel Miguéis e Luís Casalinho.

Inscrições:

A sua inscrição deverá ser realizada através do formulário online disponível aqui, e validada através do pagamento da propina nos Serviços Administrativos SAMP até ao dia 10 de dezembro (segunda-feira)

Propina:

~ Alunos SAMP e Orfeão de Leiria: 15€

~ Alunos de outras escolas do Concelho: 18€

~ Outros: 20€

A inscrição no estágio inclui uma refeição. As restantes refeições têm o custo de 5€.

As refeições serão servidas no refeitório da Escola Dr. Correia Mateus.

Concertos:

~ 20 de dezembro (quinta-feira) às 18h30 na Escola Dr. Correia Mateus

~ 21 de dezembro (sexta-feira) às 19h00 no Centro de Diálogo Intercultural de Leiria

Mapa de Ensaios:

Workshop de JAZZ

Este workshop de jazz é destinado para alunos já com algum conhecimento musical. Os participantes terão a oportunidade aperfeiçoar, individualmente e em grupo, os seus conhecimentos de Jazz. Este workshop irá possibilitar aos participantes a oportunidade de tocar em pequenos combos de jazz e numa Big Band composta por alunos do curso. Aproveita esta oportunidade e vem aprofundar mais os teus conhecimentos de jazz com excelentes músicos.

CÉSAR CARDOSO, Instrumentos de Sopro, Big Band e Teoria
Nasceu em 1982 em Leiria e aos 7 anos iniciou os seus estudos musicais. Frequentou a classe de Saxofone clássico no Orfeão de Leiria com o prof. Alberto Roque onde concluiu o 8º grau.
De destacar a sua passagem pela Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal entre 2004 e 2008 onde trabalhou com Jorge Reis e Pedro Moreira.
Em Maio de 2008 foi escolhido para representar Portugal na European Colours Jazz Orchestra em Itália.
Em 2010 gravou o seu primeiro disco “Half Step” em quinteto com os músicos Bruno Santos, Filipe Melo, Demian Cabaud e Bruno Pedroso, e em 2015 gravou o seu segundo disco de originais chamado “Bottom Shelf” em quarteto com Bruno Santos, Demian Cabaud e André Sousa Machado.
É membro do grupo Desbundixie dixie band, da Big Band do Hot Clube de Portugal, diretor artístico e criador da Orquestra Jazz de Leiria e lidera o seu próprio quarteto. Já tocou com grandes nomes do Jazz nacional e internacional como por exemplo, João Moreira, Jorge Reis, Claus Nymark, Alexandre Frazão, Bernardo Moreira, Lars Arens, Filipe Melo, Bruno Santos, Afonso Pais, Nelson Cascais, Bruno Pedroso, Pedro Moreira, André Sousa Machado, Julian Arguëlles, Maria João, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Zé Eduardo, Perico Sambeat, Rosario Giuliani, John Ellis, entre outros.
É licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa, no curso superior de Jazz e é actualmente professor de saxofone, teoria, combo e big band na Escola de Jazz Luiz Villas-Boas – Hot Clube de Portugal.

TIAGO FERREIRA, Piano, Combo e Teoria
Natural de Casal Novo, Freguesia de Santa Catarina da Serra,Tiago Antunes Ferreira iniciou os estudos de piano no Orfeão de Leiria, Conservatório de Artes, com a professora Vesna Manojlovic, tendo posteriormente ingressado a Escola de Jazz Luís Villas Boas (Hot Club de Portugal), em Lisboa, onde concluiu o curso de piano variante Jazz com os professores Dan Hewson, Nuno Costa, Joana Machado, Massimo Cavalli, Jorge Moniz, Luís Cunha, Bernardo Moreira, Gonçalo Marques, e Afonso Pais.
Lecciona aulas de piano, e toca regularmente como pianista intérprete e autor, e pianista acompanhador, em diversas formações, sobretudo na área do Jazz, tais como Leiria Jazz Group, Trio Suspenso, JAZZing X’mas, e Orquesta de Jazz de Leiria, mas também na área da música tradicional, Pop/Rock e da música clássica. Nesta ária, participou como pianista na apresentação do “Requiem de Fauré” em abril de 2013 pela Filarmónica de Monte Redondo e coro, e mais regularmente como pianista acompanhador do “Coro Viva Voz” de Santa Catarina da Serra.
Recentemente participou na peça de Teatro “Palco de Memórias” encenada por Norberto Barroca para a inauguração da Casa da Cultura da Marinha Grande, como pianista e director musical.
Actualmente, integra a banda “Bússola” ao piano e acordeão, tendo lançado o seu CD de apresentação em novembro de 2015. Em 2016/2017 tem colaborado com o compositor André Barros, compondo em co-autoria e apresentando peças para piano a quatro mãos.

– JOÃO MANETA, Bateria
João Miguel de Sousa Maneta iniciou os seus estudos musicais aos doze anos na Sociedade Artística e Musical Cortesense. Mais tarde ingressou no conservatório Nacional de Lisboa, transferindo-se depois para o Conservatório de Leiria onde trabalhou com o professora Fátima Pinto e mais tarde o prof. Manuel Campos. Na EMOL terminou o 5º grau de percussão e o 8º de formação musical. Ganhou o 1º prémio do concurso dos melhores alunos da EMOL em 2002.
Frequentou o curso livre de percussão na escola de música da Orquestra Metropolitana de Lisboa, onde trabalhou com Rui Gomes. Frequentou também vários cursos e work shops onde trabalhou com Jean François Lezé, Peter Ersckin, Dan Weiss, André Sousa Machado, Paulo Bandeira, Acácio Salero, Luís Cascão, Filipe Melo, Pedro Moreira; João Moreira, Rodrigo Gonçalves entre outros.
Reforçou a Orquestra Filarmonia das Beiras e participou num seminário com a Orquestra Sinfonieta do Porto. Frequentou a escola de jazz do hot clube de Portugal de 2003 a 2005 onde estudou bateria com o prof. Bruno Pedroso. Participou como convidado na gravação de vários discos como baterista e percussionista. É o baterista do grupo Desbundixie e da Banda da Catraia. Toca atualmente em diversos projetos de jazz, música tradicional e é também o baterista da Orquestra de Jazz de Leiria

ADELINO OLIVEIRA, Guitarra Elétrica
Iniciou os seus estudos em piano e guitarra clássica em 1994. Posteriormente, em 2000 ingressou no Hot Clube em Lisboa, escola de jazz Luís Villas Boas. Neste período, ate 2005 teve oportunidade de trabalhar com os seguintes professores: Bruno Santos, Vasco Agostinho, Ricardo Pinheiro, Pedro Madaleno, Rui Cardoso, Andre Fernandes, Joao Moreira, Filipe Melo entre outros…
Participou ainda em workshops com Carlos Barreto (cbx), o guitarrista Mario Delgado (gtr), os norte americanos David Binney (sax) e Aaron Goldberg (pno).
Tendo participado no projeto de originais Wonderland, atualmente integra a Orquestra de Jazz de Leiria e algumas formações de jazz. Participa em bandas como Catraia, Bússola e Caruma e outros projetos de animação cultural. Leciona em várias escolas de música do distrito de Leiria guitarra elétrica e iniciação a guitarra clássica.

 

 

DIOGO DIAS, Baixo
Diogo Dias, Começou a tocar baixo eléctrico aos 16 anos e contrabaixo aos 20 anos com o professor Manuel Rêgo. Integrou a banda Ballerina com a qual participou em diversos concertos destacando-se um no Festival Sodoeste em 1999, Em 2003 grava o disco “Le jeu” com a banda “Balla” de Armando Teixeira e integra a digressão do mesmo. No ano seguinte faz a digressão com a banda “Bulllet” da qual se destacam os concertos no festival “Sonar” em Barcelona. No ano seguinte integra a banda Mola Dudle na digressão do disco “O futuro só se diz em Particular”- Em 2006 a mesma banda fica residente no programa de televisão “A revolta dos pastéis de nata” durante duas temporadas. Em 2007 grava o disco “Se o amor fosse só isso” de Patrícia Vasconcelos e integra a banda acompanhante que participa no “Cool jazz Fest 2007” na primeira parte da banda francesa Nouvelle Vague. Entre 2007 e 2010 participa em projectos de vário géneros musicais com concertos em salas como Coliseu de Lisboa, Porto, Aula Magna, CCB etc… Em 2010 grava o tema “Como um fado” para o disco ‘It’s Only Love Give It Away’ de Mikkel Solnado. 2010-12 integra a banda que acompanha a Cantora Anabela na promoção do disco “Nós”. Em 2012 grava o o disco “A vida de um vinho” com músicas de Jorge Salgueiro para a Casa de Vinhos Ermelinda de Freitas. Tem participado como contrabaixista e baixista freelancer em projectos de vários estilos musicais. Em 2014 integra na Orquestra da Quarentena, criada por Jorge Salgueiro para a a peça com o mesmo nome do Grupo de Teatro O Bando fazendo espectáculos itinerantes pelo país fixando-se em Palmela o mês de Outubro. Nesse ano colaborou com Luís Taklin, Lara Li, Simone de Oliveira, Miguel Martins trio, Nicole Eitner, Liliana Martins, L´escargot assim como a orquestra e emsembles da Foco Musical e entidades privadas. Em 2015 gravou o disco de Jorge Salgueiro “Canções eróticas e poemas de amor”, integrando o “Willow Ensemble” com a mezzo-soprano Carolina Figueiredo, piano e quinteto de cordas a saír em Outubro de 2016. Grava também o novo disco de Mola Dudle de Nanu Figueiredo, disco a sair no final de 2016 continuando a colaboração com os artista acima referidos. Em 2016 grava o disco “Fado Baloiçado” do fadista Luque de Castro e começa a participar regularmente em eventos de Fado como contrabaixista acompanhador, fazendo também a digressão do disco “Corpo-Fado” da fadista Liliana Martins.

Horários:

 

 

 

 

 

 

 

Inscrições:

WORKSHOP Valor
Alunos Escola de Música do Orfeão de Leiria 60€
Alunos do Curso de Jazz da Escola de Música do Orfeão de Leiria 50€
Alunos Bandas do Concelho de Leiria 65€
OUTROS 70€
Alunos de canto 30€

inscrições até 17 de dezembro.

A inscrição será considerada válida quando forem entregues a ficha de inscrição e o valor da inscrição aos serviços administrativos do Orfeão de Leiria ou enviados para o endereço eletrónico: geral@orfeaodeleiria.com

O valor de inscrição poderá ser pago em numerário, por transferência bancária ou por cheque à ordem de Orfeão de Orfeão de Leiria Conservatório de Artes.

O workshop só se realiza com um número mínimo de 20 inscrições.

 

V Ciclo de Master Classes

Cursos intensivos de prática instrumental, orientados por professores nacionais ou estrangeiros de reconhecido prestígio no plano nacional e internacional. É uma atividade de crucial importância para o desenvolvimento das aprendizagens dos alunos, onde surge a possibilidade destes tomarem contacto com outros profissionais da música e experienciarem outras formas de aprendizagem, quer em contexto de grupo, quer em partilha de experiências. Master classes:

17 e 18 de dezembro de 2018

Instrumento Professor do OLCA Professor Convidado
Trompete Alfredo Lopes Sérgio Pacheco
Trompa Bruno Cruz Luís Vieira
Trombone Diogo Santos Paulo Alves
Percussão António Casal Jean-François Lézé
Flauta Transversal Neuza Bettencourt e João Pedro Fonseca Katharine Rawdon

 

 

19 e 20 de dezembro de 2018

Instrumento Professor do OLCA Professor Convidado
Clarinete Luís Casalinho e Paulo Bernardino Paulo Gaspar

 

Saxofone José António Lopes,

Nuno Mendes e Joel Rodrigues

Rodrigo Lima

 

Tuba Gil Gonçalves

 

Adélio Carneiro

 

 

Horários:

17 e 18 de dezembro de 2018–  9h30 às 12h30 – 14h30 às 18h30 (18h30 –Concerto Final e entrega de diplomas)

19 e 20 de dezembro de 2018–  9h30 às 12h30 – 14h30 às 18h30 (18h30 –Concerto Final e entrega de diplomas)

 

Inscrições:

10 de dezembro de 2018.
(inicia com um nº mínimo de 10 inscrições)

Inscrições on-line através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScVLXuAHtZXgKtW7KNDD1r0iLuzGiOdT22TCW2stCBGMHSLCA/viewform


PROFESSORES:

Adélio Carneiro – Tuba

Natural de Vila Nova de Famalicão, iniciou os seus estudos musicais na Escola Profissional Artística do Vale do Ave na classe de trompete do professor Paulo Silva, e mais tarde na classe de tuba do professor Alexandre Fonseca. Em 1998, ingressou na Academia Nacional Superior de Orquestra na classe do professor Sérgio Carolino. Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian prosseguiu os estudos na Suiça, na Hochschule Musik und Theater Zürich na classe do professor Anne Jelle-Visser. Em 2012, obteve o grau de mestre pela Escola Superior de Música de Lisboa.

Como músico convidado, já colaborou com diversas orquestras nacionais e internacionais. Apresentou-se a solo e em grupos de música de câmara, em Portugal, Espanha, França, Itália, Suiça, Áustria, Hungria, Alemanha, Escócia e Holanda.

Atualmente frequenta o Doutoramento em Artes Musicais, na Faculdade Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa e exerce a sua atividade como docente da classe de tuba na Escola Superior Música de Lisboa, na Escola Profissional Metropolitana e Academia Nacional Superior de Orquestra.

É membro fundador do Ensemble de Metais LXbrass, dos Brass Factory com qual gravou o CD  “A Tribute to Frank Zappa”, membro do Grupo de Metais do Seixal e “GMS Portuguese Brass”.

Jean-François Lézé – Percussão

Jean-François Lézé é uma referência da percussão sinfónica e é reconhecido pela sua polivalência artística. Timpaneiro, percussionista, pianista, professor e compositor, estudou no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Lyon na classe de François Dupin (Orchestre de Paris), Georges Van Gught (Percussions de Strasbourg) e de piano com Roger Muraro. Solista convidado das Orquestras da Opéra de Lyon, Orquestra Nacional de Lyon e da Nacional de Montpellier.

De Setembro 1994 a 2002, residiu em Lisboa, e foi Chefe de Naipe de Percussão da Orquestra Metropolitana de Lisboa, professor de percussão na Academia Nacional Superior de Orquestra. A sua intensa atividade pedagógica permitiu criar uma nova geração de percussionistas portugueses trabalhando hoje nas principais orquestras nacionais. É mestre em Ensino especializado da Música pela Universidade Católica do Porto.

Desde Setembro 2002, é Timpaneiro solista da Orquestra Sinfónica do Porto-Casa da Música. Apresentou-se a solo com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra Clássica da Madeira, a Orquestra Nacional do Porto, a Orquestra Sinfonieta de Lisboa, a Sinfónica do Porto – Casa da Música e em formações de Música de Câmara com Bernardo Sassetti, Mario Laginha, Maria João, Artur Pizarro, Augustin Dumay, Natalia Gutman, Katia e Mariel Labéque, Yuri Bashmet e os solistas de Moscovo.

O gosto para a música erudita, o Jazz e as músicas do Mundo conduzem-no nos palcos europeus; Espanha, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Itália e Alemanha assim como nos palcos internacionais nos países como a China, o Japão, a Tailândia, Índia e Coreia do Sul. A paixão pela composição e o trabalho desenvolvido permitem ao Jean-François de receber várias encomendas nacionais e internacionais. Hoje, a sua música é interpretada na Europa, nos Estados Unidos e no Japão e é editada em Portugal, França e Suíça.

Desde Janeiro de 2017, Jean-François Lézé é timpaneiro solista convidado da Orquestra Filarmónica de Radio-France em Paris.

 

Katharine Rawdon – Flauta Transversal

Katharine Rawdon é uma flautista americana versátil reconhecida internacionalmente. Nomeada Artista Powell, foi escolhida pessoalmente pela lendária empresa americana para a representar em  Portugal e no estrangeiro, apresentando recitais e master classes. Em Abril, 2018, tocou no concerto inaugurativo do novo modelo Ouro 18k da Powell Flutes em Paris, ao lado de Philippe Bernold e Jean Ferrandis.

Durante 25 anos foi Chefe de Naipe de Flauta da Orquestra Sinfónica Portuguesa do Teatro Nacional de São Carlos, onde tocou com maestros de renome como Rafael Frübeck de Burgos, Nello Santi, Antonio Pirolli, and Michel Plasson. Nos Estados Unidos, tocou na Tanglewood Festival Orchestra sob os maestros Kurt Masur e Leonard Bernstein.

Katharine Rawdon tocou vários concertos de flauta, estes com uma variedade de épocas estilísticas, de Bach, a Boulez e Delgado, com as orquestras mais distintas de Portugal, e em Nova Iorque e Califórnia. Foi premiada nos concursos Artists International Debut, Fischoff, e Yellow Springs, e recebeu honras académicas incluindo a Phi Beta Kappa, e Thomas J. Watson Foundation Fellow.

É fluente no uso de todas as flautas transversais, do flautim ao contrabaixo e à flauta barroca. Tem atuado pela Europa, América, e Índia, tanto a solo como com os ensembles Syrinx:XXII, Syrinxello, La Paix du Parnasse, e Machina Mundi, e pontualmente com a Sinfonia Varsóvia, e o Quarteto Leipzig com a harpista Marie-Pierre Langlamet, da Filarmónica de Berlim. Foi também flautista da Orquestra Utópica, estreando dezenas de obras de compositores portugueses e estrangeiros.

Como professora, tem apresentado master classes por Portugal, e pelos Estados Unidos no Curtis Institute, em Philadelphia, para a Primavera Fund, e em Manhattan como Artista Powell. Tem servido várias vezes no júri dos Prémios Jovens Músicos, e foi co-fundadora da Academia de Flauta de Verão. Atualmente é docente na ESART, em Castelo Branco.

Em 2018 renunciou a posição na orquestra para seguir projectos criativos, incluíndo música de câmara, ensino, composição, e formação em Integrated Practice.

Por fim é diplomada de Pomona College (Califórnia) e da Manhattan School of Music, e detém o Título de Especialista da ESART-IPCB. Os professores que mais a marcaram foram Gary Woodward e Anne Zentner em Los Angeles, Carol Wincenc e Robert Dick em Nova Iorque, e Paul Verhey em Amsterdão.

 

Luís Vieira – Trompa

É natural de Castelo de Paiva, nascido no ano de 1988. Iniciou os estudos musicais aos seis anos de idade na Academia de Música de Castelo de Paiva, na classe de piano. Posteriormente iniciou o estudo da trompa, a partir dos seus 14 anos na classe do prof. Marco Costa. No ano de 2009 obteria o título de Licenciado pela Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, com o tutor Paulo Guerreiro, com elevada classificação. No ano de 2010 frequentou o Curso Livre na ESMAE (Porto) com o prof. Abel Pereira, e pós-graduação no Conservatorio Superior de Musica de Aragón (Zaragoza, Espanha) na classe de Eric Terwilligher e Sarah Willis.

De 2011 a 2013 Luís Vieira frequentou a Escuela Superior de Musica Reina Sofia (Madrid, Espanha), na classe do prof. Radovan Vlatkovic, onde recebeu das mãos da Rainha Sofia de Espanha o prémio de melhor aluno da Cátedra de Trompa. Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian e da Fundacion Carolina. Luís terminou o seu título de Mestrado em Trompa Solista na Zurcher Hochschule der Kunste (Zurique), na classe do Prof Radovan Vlatkovic no ano de 2015.

Foi seleccionado para várias orquestras jovens como The World Orchestra (Espanha), Lucerne Festival Academy (Suiça), Schleswig-Hohlstein Youth Orchestra (Alemanha), Orquesta Joven Sinfónica de Galicia (Espanha,) entre outras.

Como músico convidado colaborou com várias orquestras profissionais, como Orchestre de la Suisse Romande (Genébra), Orchestra della Svizzera Italiana (Lugano), Orquestra Sinfónica Portuguesa (Lisboa), Orquesta Nacional de España (Madrid), Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Divino Suspiro Ensemble Barroco, entre outras.

No ano de 2011 Luís Vieira foi premiado no Prémio Jovens Musicos, na categoria Superior. Em 2012 foi seleccionado entre os últimos 14 concorrentes na Markneukirchen International Competition e foi finalista em 2013 do Citta di Porcia Music Competition.

Luís foi Academista da prestigiada Karajan Akademy da Orquestra Filarmónica de Berlim nas temporadas 2013/2014 e 2014/2015, tendo-se apresentado várias vezes com a Orquestra e sob a direção de Sir Simon Rattle, Semyon Bychkov, Valery Gergiev, Herbert Blomstedt, Christian Thielemann, Gustavo Dudamel, Riccardo Chailly, Andris Nelssons, entre outros.

Desde a temporada 2015/2016 é Trompa Solista na Orquestra Sinfónica Portuguesa.

Lecciona na Escola Superior de Musica de Lisboa e na Escola Superior de Artes Aplicadas, em Castelo Branco.

 

Paulo Alves – Trombone

Paulo Alves nascido em Tarouquela em 1985 iniciou os seus estudos na sua terra natal, prosseguindo os estudos na Academia de Castelo de Paiva, Escola Profissional de Artes da Beira interior e Academia Nacional Superior de Orquestra.

Ganhou o 1º prémio de interpretação musical em Castelo de Paiva, e em 2008 ficou em 2º lugar no concurso Internacional Terras de la Sallete. Em 2007 fica como Reserva na Orquestra de Jovens Gustav Mahler.

É professor e orientador em diversos Estágios de Orquestra para jovens realizados em diferentes pontos do país, também como professor lecionou na Escola de Música de Cruz de Pau.

Já colaborou com diversos artistas e agrupamentos musicais, dos quais se destacam Rui Veloso, Felipe La Féria, Quinteto de Metais do Seixal, Grupo Novo Rock, Big Band do Hot Club de Portugal.

Colabora frequentemente com as mais prestigiadas orquestras Portuguesas, tais como Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana, Orquestra sinfónica Portuguesa, Orquestra do Algarve, Orquestra de Câmara Portuguesa entre outras.

Atualmente é trombonista na Banda Sinfónica da GNR e estuda na Escola Superior de Música de Lisboa na classe de Mestrado do professor Hugo Assunção.

 

Paulo Gaspar – Clarinete

Nasceu em Azambuja onde iniciou os seus estudos musicais. Em 1989 ingressou na Banda da Armada e a partir de 1991 torna-se o clarinetista dos Dixie Gang, grupo com 2 CDs gravados, mais de 700 concertos realizados e diversas representações de Portugal no estrangeiro. Ao longo da sua carreira tem realizado concertos de música de câmara com formações eruditas bem como integrando diversos grupos de jazz.

Além das enumeras gravações para a rádio e televisão, tem colaborado com alguns dos mais importantes músicos portugueses assim como com as seguintes instituições: Orquestra Sinfonia B, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfonieta de Lisboa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian e Big Band do Hot Club de Portugal.

Tem realizado cursos de clarinete e iniciação ao jazz por todo o país. Lecionou a disciplina de clarinete nos Conservatórios Regionais de Loures, Setúbal e Santarém. É, desde 1991, professor de clarinete na Escola de Jazz do Hot Club de Portugal.

Foi aluno da Escola de Música do Conservatório Nacional e da Escola de Jazz do Hot Club de Portugal. Em 1999 concluiu a Licenciatura em Clarinete na Escola Superior de Música de Lisboa e em Março de 2006 o Mestrado em Artes Musicais na Universidade Nova de Lisboa.

Atualmente é doutorando da Universidade de Évora e professor de clarinete na Escola Superior de Música de Lisboa.

Rodrigo Lima – Saxofone

Iniciou a sua carreira na música com o maestro Gil Miranda na Banda Marcial de Fermentelos, com formação musical e saxofone. Poucos anos depois, prosseguiu os seus estudos no Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian com o professor Fernando Valente.

Completou o curso na Escola Profissional de Música de Espinho com o professor Francisco Ferreira, o Bacharelato em Saxofone na Escola Superior de Música de Lisboa com os Professores José Massarrão e Alberto Roque, Licenciatura em Saxofone na Escola Superior de Música de Lisboa com o Professor José Massarrão, Mestrado em Música e Mestrado em Ensino da Música na Escola Superior de Música de Lisboa com o Professor José Massarrão.

No ano de 2014, completa a especialização – Música para Saxofone, século XXI no Conservatoire Supérieur de Musique de Strasbourg (França), com o Professor Philippe Geiss. Actualmente, encontra-se na University of Minnesota (EUA) com o professor Dr. Preston Duncan, a frequentar o doutoramento – Doctor Musical Arts.

Desde 2009, colabora com a pianista e compositora Checa Zdenka Kosnarova como “Duo 152”. Juntos, fazem tournées pela Europa e realizam recitais que incluem algumas composições originais e repertório tradicional para saxofone e piano.

Em conjunto com outros músicos, participa em diferentes projectos. Leccionou em vários conservatórios em Portugal e administrou várias masterclasses em Portugal e no estrangeiro.

É um dos saxofones Solista na Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana em Lisboa.

Rodrigo Marques Pires de Lima é um artista E. Rousseau Mouthpieces.

 

Sérgio Pacheco – Trompete

Sérgio Pacheco é Chefe de Naipe de Trompete da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Completou a sua formação na ARTAVE – Escola Profissional Artística do Vale do Ave e, mais tarde, no Royal College of Music, em Londres.

Foi Primeiro Trompete Auxiliar da Orquestra Gulbenkian. Apresentou-se várias vezes com outras orquestras como, por exemplo, Gustav Mahler Youth Orchestra, European Union Youth Orchestra, Orquestra Sinfónica Portuguesa, BBC Philharmonic Orchestra e SEL – Solistes Européens Luxembourg. Iniciou em 2017, um período de experiência com a London Philharmonic Orchestra.

No âmbito da música contemporânea, colabora pontualmente com o Remix Ensemble, Orchestrutopica, GMCL, Sond’Ar-te Electric Ensemble e Vertixe Sonora. Na música barroca, tem colaborações regulares com a Orquestra Barroca Casa Da Música e Os Músicos do Tejo.

Na qualidade de solista, apresentou-se várias vezes a solo com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra do Algarve e com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Foi por duas vezes primeiro prémio no Prémio Jovens Músicos/RTP e no Concurso de Trompete de Castelo de Paiva, em nível médio e nível superior. Mais recentemente, em 2015, ganhou o Concurso Internacional de Trompete Théo Charlier, na Bélgica.

Na vertente de ensino, foi professor da classe de trompete do Instituto Piaget/Almada, ESMAE e da Escola Profissional de Música de Espinho. Para além disso, tem sido convidado para orientar masterclasses e workshops de trompete, dentro e fora do país.

 

 

Cursos Livres de Dança – Inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para os Cursos livres de dança.

Curso de Jazz

Com os Cursos de Jazz a Escola de Música do Orfeão de Leiria pretende proporcionar aos seus alunos o contacto com outras linguagens musicais. O ensino oficial sé contempla nos seus planos curriculares o ensino da linguagem “clássica”. Assim, entende-se que não faz sentido afastar-nos quer do jazz, quer de outras linguagens que fazem parte do nosso quotidiano musical.

Plano de Estudos:

1º Ano, 2º Ano e 3º Ano

Este plano divide-se em três disciplinas semanais.

45 minutos de aula de instrumento semanal

45 minutos de teoria semanal

90 minutos de Combo e Big Band (oferta)

Inscrições:

Faça a sua pré-inscrição através do link:https://docs.google.com/…/1FAIpQLSfM31gMJcmPpTaa8T…/viewform

Preçário:

Inscrição: 20€
Propina mensal: 115€
Valor anual (10 meses): 1150€

Aula de Instrumento:

A aula de instrumento é individual.
Instrumentos lecionados: clarinete, saxofone, trompete, trombone, guitarra elétrica, contrabaixo, baixo elétrico, bateria, piano, vibrafone e canto.

Aula de Teoria:

Nesta disciplina leciona-se harmonia de jazz, teoria musical e realiza-se treino auditivo, preparando os alunos para as aulas práticas.

Aula de Combo ou Big Band:

Onde se trabalham vários temas de jazz. O objetivo é desenvolver a capacidade de improvisação tocando em grupo. Neste caso poderá ser num pequeno combo ou na Big Band.

Corpo Docente:

Coordenação, Saxofone, Teoria e Combo: César Cardoso | Trompete: André Rocha | Trombone: André Ramalhais | Clarinete e Big Band: Paulo Bernardino | Guitarra: Adelino Oliveira | Piano: Tiago Ferreira | Contrabaixo: Diogo Dias Canto: Cláudia Franco | Bateria: João Maneta |Vibrafone: Paulo Santo

HORÁRIO

Pós-laboral

 

,

Concerto de Natal

No dia dezasseis de Dezembro, a cidade de Leiria irá revestir-se de esplendor, adornada da mais bela talha dourada do período Barroco.

Poder-se-ia tratar de uma penumbra fruto das pinceladas de Caravaggio, ou de uma imponente edificação arquitectada por Lourenzo Bernini, no entanto, este momento será expressado inteiramente sobre a visão de célebres criações musicais dos séculos XVII/ XVIII.

Iniciado com a imponente abertura da suite Fireworks do compositor britânico Georg F. Haendel – obra que outrora serviria para comemorar a assinatura do tratado de Aix-la-chapelle-, neste caso, assumirá um papel de recepção de boas vindas para todos aqueles que se façam presentes neste concerto.

De seguida, far-se-á ouvir o Concerto em lá m de Alessandro Scarlatti, em que a flauta bisel irá surgir com o papel solístico. Sob execução do flautista João Nuno Rocha, poderemos contar com o contributo de tal reconhecido músico, para demonstrar a beleza e virtuosismo intrínsecos na execução de tão nobre instrumento histórico.

Após percorrermos o período barroco na sua expressão inglesa, e italiana, fechamos com chave de ouro vendo-o reflectido na galeria de espelhos do Palácio de Versailles num dialecto musical Frances. Desta feita, contaremos com o contributo da herança que nos é deixada por Marc- Antoine Charpentier, na execução do seu Te Deum

– um hino de acção de graças. Iremos assim concluir este momento de inteira revisitação artística, com o contributo dos coros do Orfeão de Leiria e Coro de Câmara do Orfeão de Leiria e ainda das sopranos Daniela Matos, Lara Rainho, do contratenor David Hackston, do tenor André Lacerda e do baixo Miguel Maduro-Dias.

Toda esta vivência histórica e cultural estará a cargo da execução da orquestra Sinfónica de Leiria – na sua formação Barroca, do organista João Santos e direcção artística do maestro Nuno Almeida.

Data| 16 dezembro
Hora| 16h00
Local| Igreja Convento da Portela (Franciscanos), Leiria

Entrada livre

,

Voto de louvor ao Orfeão de Leiria

A direção do Orfeão de Leiria|Conservatório de Artes sente como grande estímulo e desafiante responsabilidade acrescida, o voto de louvor aprovado por unanimidade pela Assembleia Municipal de Leiria, proposto pela União de Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes, através do seu presidente, senhor José Cunha, na sessão do último dia 27 de abril.

É na verdade, mais um momento de grande satisfação pelo reconhecimento do trabalho feito pelo Orfeão de Leiria, não só em prol da Cultura, especialmente, com a Música e a Dança, como pela promoção que procuramos fazer de Leiria em todo o país, através de várias iniciativas das Escolas, do Coro e do Conservatório Sénior e neste caso em particular, com o Festival “Música em Leiria” que, ao ter realizado a sua 36ª edição consecutiva é, de facto, uma relevante marca cultural do Concelho, sendo também o Festival mais antigo do país, em continuidade.

Na verdade, é um evento referido por todos os órgãos da comunicação social regionais e nacionais, trazendo a Leiria artistas nacionais da mais alta qualidade, partindo agora nós para a internacionalização, também com grandes artistas de referência. Isto, sem esquecer a promoção dos nossos valores locais, professores, alunos e ex-alunos. A vinda de várias dezenas de pessoas oriundas dos mais diversos pontos do país aos nossos concertos, é a confirmação da atratividade do Festival e da projeção do próprio Orfeão e da Região de Leiria.

Contudo, isto só é possível porque diversas entidades, tanto do setor público, como do privado, reconhecem o interesse da iniciativa e entendem associar-se, como parceiros fulcrais da nossa organização, para o êxito conseguido. Acima de tudo, só é possível com o dedicado trabalho de docentes, dos alunos, dos nossos colaboradores e o apoio dos associados, que devem sentir como seu o louvor que agora foi aprovado. A direção e os órgãos sociais assumem as estratégias e sabem a quem se devem os êxitos.

É um orgulho para esta nossa Associação, que já vai a caminho dos 73 anos de existência.

Acácio Sousa
(presidente da direção)

Voto de Louvor atribuído pela Assembleia Municipal de Leiria

Crescer com as Artes – Inscrições abertas

3 aos 5 anos / Aprender pela Música!
No projecto “Crescer com as Artes” do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes, os alunos terão oportunidade assistir a duas sessões semanais: uma de “Música e Movimento” e outra “Criativa e Experimental”, cada uma com duração de 40 minutos. Cada grupo de 10 a 15 crianças será estimulado com música e movimento, através da voz e audição de excertos gravados com instrumentos acústicos variados, música tradicional de vários países ou ainda com instrumentos ao vivo.

O objetivo é dar a conhecer às crianças os instrumentos musicais, criar momentos de composição e interpretação musical entre outros estímulos rítmicos, de movimento e improvisação.

As inscrições estão abertas na secretaria do Orfeão de Leiria Conservatório e o projeto iniciará em setembro.

,

Medalha de Mérito Municipal – Grau Prata

O Município da Batalha deliberou agraciar o Orfeão de Leiria|Conservatório de Artes com a Medalha de Mérito Municipal-Prata, no dia 14 de agosto, pelas 10.30 horas, em sessão solene nas Capelas Imperfeitas do Mosteiro de Stª Maria da Vitória.

É uma honra enorme.

É também um gosto e um estímulo maior vermos reconhecido que o nosso labor marca a Região, sendo assim entendido por munícipios que connosco trabalham. Temos na Câmara Municipal da Batalha um parceiro exigente, mas inexcedível e sempre disponível para apoiar o Orfeão de Leiria|Conservatório de Artes naquilo que coincide com o interesse concelhio. A Cultura, no que toca às manifestações da Música e da Dança e do seu Ensino Especializado, são um exemplo.

Contudo, este reconhecimento deve-se a todos aqueles que contribuem para o sucesso da Casa: os associados que nos procuram e nos mantêm em atividade permanente; os alunos que querem aprender Música e Dança e garantem as nossas Escolas; os docentes que põem a sua deontologia profissional e o seu saber na promoção da EMOL e da EDOL; os diretores pedagógicos que assumem as orientações pedagógicas e artísticas; os trabalhadores administrativos e os auxiliares, que são o suporte de todas as realizações; os coralistas que mantêm viva a génese associativa do Orfeão; os alunos do Conservatório Sénior, porque trazem o revigor das vontades; e os orgãos sociais que assumem a estratégia da instituição.

Todos são agraciados e  a todos o Orfeão de Leiria agradece  este reconhecimento público, em particular, ao Município da Batalha e à Região onde mostramos o que somos.

Acácio Sousa
(presidente da direção do Orfeão de Leiria|Conservatório de Artes)

Selo Escola Intercultural 2017

A Direção Geral de Educação e o Alto Comissariado para as Migrações, em parceria com a Fundação Aga Khan, criaram em 2008 um simbólico galardão, denominado Selo de Escola Intercultural, a atribuir de dois em dois anos, tendo sido concretizada agora a 4ª edição.
Este selo distingue as escolas que tenham valores e práticas de participação para a diversidade cultural, ou identidades plurais, que levem assim ao melhor conhecimento de cada um, ou do “outro” e de si próprio, ou ainda das condições que, sendo diferentes, terão também pontos de convergência.
Em 4 edições, o Orfeão de Leiria foi selecionado em 2014 e também na edição de 2016, cujo diploma e selo respectivo foram entregues no último dia 12 de janeiro nas instalações da Comunidade Ismailli, em Lisboa, pelo presidente desta Comunidade, pelo CEO da Fundação Aga Khan/Portugal, pelos Secretários de Estado da Educação e da Cidadania e ainda pelo Alto Comissário para as Migrações.
O Orfeão de Leiria apresentou um grupo de dança, constituído por alunos, numa “performance” alusiva à diversidade cultural.