Cursos de Dança 2017
Publicado em

cartaz

Cursos intensivos de dança e performance, orientados por professores e coreógrafos nacionais e estrangeiros. Trata-se de uma atividade de crucial importância para o desenvolvimento e conhecimento de novas aprendizagens para crianças e jovens, onde surge a possibilidade destes tomarem contacto com diferentes géneros e profissionais de dança, experienciarem outras formas de aprendizagem, estimular a criatividade, quer em contexto de grupo quer em partilha de experiências.
Os alunos poderão optar por aulas avulso, por packs diários ou de três dias, divididas por 3 níveis diferentes de ensino (10-12 anos, 13-14 anos e +15 anos), sendo muito mais apelativo e enriquecedor o trabalho dos três dias. Na 6ªf, 7 de abril haverá uma apresentação no auditório do Orfeão, do trabalho realizado nas disciplinas de Repertório Clássico e Oficinas Criativa e Coreográfica, para os alunos que frequentarem nos três dias, as disciplinas mencionadas.
No dia 8 de abril, a manhã é dedicada aos mais pequenos com aulas de dança clássica (7-9 anos), dança criativa (4-6 anos e 7-9 anos) e expressão dramática (4-6 anos e 7-9 anos) e hip hop.

Inscrições abertas na secretaria do Orfeão de Leiria ou através do link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScCCPa-sLJQqVQfthGeGqccRmwnuihcvfg_GIrvL_tA008S7A/viewform

DISCIPLINAS

Técnica de Dança Clássica (TDC)
Esta disciplina visa experienciar a dança clássica tendo como base uma junção de várias técnicas, tais como: Russa, Inglesa e Francesa. Os objetivos principais desta disciplina são indicar ferramentas e desafiar tecnicamente os alunos a desenvolver o seu lado interpretativo; indicar recursos que melhorem a qualidade de execução/movimento e estimular a autonomia individual.

Técnica de Dança Contemporânea (TDCT)
Esta disciplina visa o desenvolvimento técnico da consciência corporal de cada aluno, através de um trabalho estruturado que combina a disciplina, o rigor e a expressividade dos movimentos. São abordados vários estilos de contemporâneo, que como resultante, levam a uma diversidade de experiências de movimento em estúdio. Um dos objetivos primordiais é desenvolver as potencialidades máximas de cada aluno.

Repertório Clássico
Nesta disciplina os alunos têm a oportunidade de experienciar os conhecimentos da TDC numa composição coreográfica que será apresentada em formato de espetáculo. O principal objetivo é estimular os alunos no sentido de trabalharem especificamente excertos de bailados clássicos ou próprio repertório do professor/coreógrafo, desenvolvendo não só a parte técnica como também interpretativa.

Oficina Criativa/Oficina Coreográfica
Esta disciplina tem como fim um trabalho coreográfico contemporâneo, que resulta de uma junção de exercícios e ferramentas coreográficas propostas aos alunos. Explora uma tipologia de movimento e rigor técnico muito característica.

Dança Criativa
Nesta disciplina a dança surge como fator de transformação do movimento comum/natural em movimento criativo, no sentido de promover a aproximação à dança contemporânea. De formato lúdico, as crianças desenvolvem nesta disciplina, a consciência dos movimentos expressando as suas ideias e emoções, de forma a criar laços sociais e criativos.

Barra de Chão
Nesta disciplina pretende-se trabalhar sobretudo resistência, flexibilidade e variedade de execução. Utiliza o plano horizontal numa adaptação a diferentes técnicas como dança clássica, pilates e ioga.
Através de exercícios de efeito localizado que usam o peso do próprio corpo para desenvolver e promover a força, resistência e elasticidade muscular, assim como uma consciência e noção corporal que ensinam a defender de más posturas e a libertar tensões.
Esta técnica é cada vez mais considerada um treino essencial e complementar a qualquer disciplina física.

Contact Improv
É uma técnica surgida nos EUA no início dos anos 70 (dança pós-moderna), e tem como base o toque e a expansão das perceções desenvolvendo um diálogo físico espontâneo. Nesta disciplina os alunos iniciam o movimento tendo como ponto de partida o contacto físico, partindo desse mesmo princípio para soluções criativas e orgânicas em conjunto. A improvisação é um diálogo físico, onde o toque é o orientador do movimento, contribui para a socialização e autoestima dos alunos.

Expressão Dramática
Nesta disciplina assume-se como premissa principal: dar espaço a valências como a criatividade, capacidade de improvisação e foco.
Explorar a relação do eu e o outro com o espaço a partir de «Jogos Teatrais» e dos «Jogos Dramáticos» com recurso a música e a materiais didáticos, que permitam aos alunos divertirem-se e disfrutarem em pleno destes da expressão dramática.

Hip Hop – NewStyle
O Hip-hop New Style ou New School (Nos estados unidos) é estilo de dança urbana, que combina várias inspirações e danças, desde o popping, locking e bboying.

Palestra – Nutrição
Workshop sobre alimentação em Desporto com apresentação de sugestões de snacks alternativos. Introdução de alimentos com vantagens nutricionais. Preparação de algumas receitas mais saudáveis.

HORÁRIO
Horário 5 a 7 abril

Mais informações:
folheto 5 a 7 abril > Folheto 5 a 7 abril
Ficha de Inscrição 5 a 7 abril > Ficha de Inscrição 5 a 7 abril

Folheto 8 abril > Folheto 8 abril
Ficha de Inscrição 8 abril > Ficha de inscrição (verso)

Preçário:
Preçario 5 a 7 abril

PROFESSORES

Carolina Carvalho
Carolina Carvalho iniciou os estudos em dança em 1993 em Porto de Mós e em 2012 terminou a licenciatura em Dança na Escola Superior de Dança – Instituto Politécnico de Lisboa onde trabalhou com vários professores José Grave, Vanda Nascimento, Ruth Silk, Ana Silva Marques, Bárbara Griggi, Teresa Ranieri, Iolanda Rodrigues, entre outros.
Frequentou diversos Workshops, nomeadamente, Curso de Verão do Ginásio Clube Português e Cursos de Verão da Escola Superior de Dança com Antóni Carallo, Gelu Barbu, Natalia Timonaeva, entre outros.
Em 2012 terminou o curso de Formação de Formadores obtendo o Certificado de Competências Pedagógicas.
Desde 2011 leciona Técnica de Dança Clássica na DiArteDance em Porto de Mós e em 2012 ingressou como docente na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo-Linda a Velha onde leciona igualmente Dança Clássica e Sapateado. Desde 2013 leciona no Sport Operário Marinhense Técnica de Dança Clássica, Técnica de Pontas e também barra-de-chão.
No presente ano letivo leciona Técnica de Dança Clássica, Expressão Criativa e Técnica de Pontas no Conservatório Regional do Baixo Alentejo em Beja.

Mathilde Gilhet
Mathilde Gilhet, de nacionalidade francesa, iniciou os seus estudos em 2004 na Ecole du Centre Chorégraphique National Carolyn Carlson, em França.
Em 2007, ingressa no Ballet Junior de Genève onde teve a oportunidade de trabalhar com Alexander Ekman, Itzik Galili, Stijn Celis, Patrick Delcroix, Gustavo Ramirez Sansano, Lucinda Childs, Thierry Malandain, Andonis Foniadakis, Guilherme Botelho, Gilles Jobin, Yuval Pick, Ken Ossola, Nina Vallon (Forsythe Company), Company 7273, entre outros.
Entre 2008 e 2010 trabalhou regularmente com a Alias Company, na Suíça.
É, desde Setembro de 2010, membro do Quorum Ballet, onde desde então trabalhou com Daniel Cardoso, Itzik Galili, Gonçalo Lobato, António Cabrita, Pedro Dias, Donald Bird, Jácome Filipe, Elson Ferreira e Inês Godinho.

Margarida Costa
Margarida Costa, natural de Caldas da Rainha, iniciou o seu percurso na Escola Vocacional de Dança das Caldas da Rainha. Diplomada pela RAD, os seus estudos desenvolveram-se paralelamente com a Dança Moderna e Contemporânea. Em 2004 ingressou como bailarina no Grupo Experimental de Dança onde interpretou peças de Catarina Moreira, Bruno Cochat, Daniel Cardoso, Rui Lopes Graça, entre outros. Em 2009 ingressa na Escola Superior de Dança, terminando em 2012 a licenciatura e recentemente o 1º ano do Mestrado Profissionalizante em Educação. Como bailarina, trabalhou com: Quorum Ballet com a direção de Daniel Cardoso (2013/14); Teatro Mosca com a direção de Pedro Alves (2014/15); Teatro Meridional com a direção de Natália Luísa e Miguel Seabra (2016) e ACSC António Cabrita e São Castro (2016). Como criadora, apresentou: “Step 1” para o GED-EVDCR (2012); “displaced episodes” BOX NOVA-CCB(2015); “The Place to be” para a DC Companhia Jovens Bailarinos com a direção de Gonçalo Andrade, e co-criou a peça “How do you want to be today?” com Elson Ferreira para o Festival MUSCARIUM#2 (Sintra,2016). Presentemente integra a Companhia de Dança de Évora com a direção de Nélia Pinheiro e é professora em várias escolas de dança de Lisboa.

Elson Ferreira
Iniciou os seus estudos na Escola de Dança do Conservatório Nacional (1997-2006). A convite da Companhia Nacional de Bailado integrou os seguintes espetáculos: “Romeu e Julieta”, “Petruska” e “Quebra-nozes”. Durante o seu percurso académico participou em trabalhos com coreógrafos como David Fielding, Nicolas Marckmann, Clara Andermatt, Cesar Moniz e Daniel Cardoso. Foi membro do Quorum Ballet de 2006 a 2016, onde trabalhou com vários coreógrafos atuando em vários países como Portugal, China,
Macau, Dinamarca, Espanha, Sérvia, Tailândia, Suíça, Alemanha, Roménia, Argélia, Singapura, Estados Unidos, entre outros. Entre 2003 e 2005 participou nos cursos de Hip- Hop ministrados na Escola Ângelo, e consequentemente integrou espetáculos, eventos e competições de Hip-Hop. Como convidado integrou: Dançar Zeca Afonso de Maria Bessa e António Rodrigues (Ce.De.Ce:Portugal, 2009) e Stop Watching! de Silke Z., Dominik Siebel e André Zimmermann (Resistdance:Portugal,2014). Como coreógrafo criou as peças: Limbo (Quorum Ballet,2010); Inner Change (Quorum Ballet,2011); Polos Atrativos (Escola de Dança Conservatório Nacional, 2011); Meus…Persona (Projeto Quorum,2013); 80 milliseconds between you and your brain (Escola de Dança do Conservatório Nacional,2014); Amor (Quorum Ballet, 2015) e R/C esq. APE (Projeto Quorum,2016). Neste momento integra a Companhia de Dança Contemporânea de Évora.

Marta Baptista
Nasce em 1986 nas Caldas da Rainha. No ano de 1993, até 2005, inicia os seus estudos na Royal Academy of Dance. Em 2010 conclui licenciatura em Dança pela Escola Superior de Dança, e no ano seguinte a pós graduação em Criação Coreográfica contemporânea onde teve a oportunidade de trabalhar com coreógrafos como: Francisco Camacho, Paulo Ribeiro, Rui Lopes Graça e Rui Horta, entre outros. Desde 2008 é intérprete e assistente de ensaio do grupo experimental de dança, trabalhando com vários coreógrafos nacionais. Exerce docência em técnicas de dança clássica/contemporânea, barra de chão, iniciação ao movimento, expressão criativa e composição coreográfica desde 2010 na Escola Vocacional de Dança das Caldas da Rainha, passando pela Escola de Dança do Orfeão de Leiria, Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos e outros espaços de ensino. Em 2016 concluiu o Mestrado em Ensino da Dança, pela Escola Superior de Dança.

Catarina Menezes
Catarina Menezes, atriz, licenciada em Teatro vertente Interpretação pela Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo e Pós Graduada em Teatro e Comunidade pela Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa).
Enquanto atriz trabalhou com Nuno Carinhas (Teatro Helena Sá e Costa-ESMAE), Lee Beagley (Teatro Helena Sá e Costa-ESMAE), António Durães (ESMAE), Fernando Mora Ramos (ESMAE), Paulo Calatré (ESMAE), Inês Lua (ESMAE), Rodrigo Malvar (ESMAE), Lígia Roque (ESMAE), Nuno Pino Custódio (ESMAE), entre outros.
Colaborou com a Companhia de Teatro de Leiria, Leirena Teatro (Leiria) e com o Bica Teatro (Lisboa).
Atualmente colabora com o Teatro Umano (Lisboa).

Inês Moreira
Nutricionista clinica em hemodiálise na empresa Davita.
Nutricionista comunitária em 4 lares e 1 centro infantil.
Professora convidada da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Leiria.
Nutricionista responsável da marca Diet Expert em Portugal- Planos de Emagrecimento e toma de suplementos alimentares

Gael Domingues
Desde 2008 que se dedica ao ensino das danças urbana, foi vencedor de vários concursos como coreógrafo e bailarino.
O Hip-hop Newstyle e o freestyle são as suas áreas de eleição, formado pelos melhores a nível nacional e internacional, não procurando apenas a aula clássica nas escolas, mas sim o intercâmbio de movimento em vários locais de dança.
As suas influências na cultura urbana tornam a sua aula diferente mas sempre com base na história do movimento.


Os comentários estão fechados.