F. Música em Leiria

FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA


cartaz1.cdr

35º FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA
2 de junho a 2 julho 2017

Nos 35 anos do «Música em Leiria», um dos mais antigos festivais de música em Portugal, enquadros na música de tradição europeia, a que vulgarmente, e erradamentre, apelidamos de “clássica” ou “erudita”, continuamos a alargar o espectro musical a outros contextos, fazendo pontes, cruzando géneros e assim abrindo as portas a novos públicos.
Num total de 16 concertos e espetáculos, teremos em Leiria um mês de música, entre os dias 2 de junho e 2 de julho, onde voltamos a trazer a este cidade e a outras localidades alguns dos mais representativos nomes do panorama musical português.
Mantendo os princípios já desenvolvidos nas duas edições anteriores, nos palcos de Leiria, Batalha, Marinha Grande, Figueiró dos Vinhos, Pedrogão Grande e Castanheira de Pera irão cruzar-se diferentes géneros musicais. Logo no concerto de abertura teremos, pela primeira vez neste festival, a presença do Fado através da voz de uma das principais fadistas da atualidade. Gisela João irá apresentar, em estreia, temas do seu último disco em versão sinfónica, acompanhada pela Orquestra Filarmonia das Beiras. Ainda neste contexto será de destacar o concerto da Orquestra de Jazz de Matosinhos com a cantora Manuela Azevedo.
A presença de outros importantes artistas do panorama nacional incluem ainda nomes como o Lisbon String Trio, o quarteto de guitarras Parnasso, o Quinteto de Metais do Tejo, a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e o Coro Ricercare, dirigidos pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo, o guitarrista Pedro Rodrigues, as cantoras Ana Paula Russo, Susana Teixeira e Ariana Russo, que se apresentarão com o pianista João Paulo Santos, e o percussionista Agostinho Sequeira, vencedor da última edição do Prémio Jovens Músicos, mantendo assim o festival uma colaboração estreita com este prémio, organizado pela RTP/Antena 2.
Para encerrar o Festival, no dia 2 de julho, temos a honra de ter a CNB – Companhia Nacional de Bailado com o espectáculo de comemoraçãoo do seu 40º Aniversário.

OFBeiras03

Maestro Vassalo Lourenço
Diretor artístico do Festival Música em Leiria

 

34º FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA
2 de junho a 2 de julho de 2016

A 34ª edição do Festival «Música em Leiria» acontece no ano em o Orfeão de Leiria comemora os seus 70 anos de existência. Este facto não podia deixar de se refletir na sua programação, que mantendo os princípios já desenvolvidos na edição anterior, dará este ano uma atenção particular ao trabalho desenvolvido pela sua escola.
Assim, nos 14 concertos que decorrerão ao longo dos 30 dias do festival em que se cruzarão diferentes géneros musicais, voltaremos a ter em Leiria alguns dos nomes mais representativos do panorama musical português, manter-se-á a aposta na promoção de novos valores e será dado um espaço importante a interpretes que de algum modo estão ligados ao Orfeão de Leiria, seja porque durante a sua formação passaram pela sua escola ou porque ainda hoje estão a ela ligados como professores ou alunos, mostrando assim a importante contribuição desta instituição para o desenvolvimento da música no nosso país.
Neste contexto teremos, logo a abrir o festival, a Gala dos 70 anos do Orfeão, onde se apresentará a sua Escola de Música e Dança, e ainda outros dois concertos em que participam agrupamentos a si ligados, a Big Band do Orfeão de Leiria e a Orquestra Sinfónica de Leiria. Noutros momentos irão apresentar-se ex-alunos, como são o caso do jovem pianista leiriense João Costa Ferreira, no concerto de apresentação do festival no dia 2 de Maio, do pianista e compositor de Jazz Daniel Bernardes, do percussionista Joel Silva e da cantora Cláudia Franco, esta integrando o projeto Jazz e Poesia com o Quarteto Manuel Lourenço, ou dos concertos que integram professores da escola do Orfeão, como são o caso do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, do Liz Consort e dos grupos Saxofinia e Vozes Alfonsinas.
A presença de artistas nacionais mais representativos das suas áreas de intervenção incluem ainda o pianista Filipe Pinto-Ribeiro, que se apresentará com a Orquestra Filamonia das Beiras, o Quarteto Contratempus, que trará pela primeira vez ao festival uma produção operática, neste caso uma Ópera de Câmara com música de Nuno Côrte-Real e texto de Mário Alves, os grupos Clarinetes Ad Libitum e Fanfarra Kaustica, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, dirigidos pelo Maestro Pedro Neves, que se apresentarão no concerto de encerramento. Neste concerto participará ainda o jovem violetista Lourenço Sampaio, vencedor da última edição do Prémio Jovens Músicos, mantendo assim o festival uma colaboração estreita com este prémio, organizado pela RTP/Antena 2.

OFBeiras03/

Maestro Vassalo Lourenço
Diretor artístico do Festival Música em Leiria

 

cartaz imagem bq

33º FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA
29 de maio a 18 de junho de 2015

A edição do Festival «Música em Leiria» de 2015 será constituída por uma série de 10 espetáculos, na sua maioria musicais, concentrados num período entre 3 semanas, em que se cruzarão diferentes géneros musicais.
A programação prevista para esta edição foi concebida com uma ideia temática a que se chamou “Cruzamentos”. Apesar de ter como ponto de partida a Música Clássica, pretendeu-se alargar esta estética a outras, nomeadamente ao Jazz e à música de raiz tradicional, ainda que tratada em contexto “clássico”, e a outras artes, como a dança, que tem tido ao longo das anteriores edições uma presença regular, proporcionando cruzamentos nem sempre acessíveis ao público noutros contextos semelhantes, originando múltiplas possibilidades numa programação que se pretende fundamentalmente eclética mas sempre pautada por inequívocos critérios de qualidade.
A presença de alguns dos artistas nacionais já consagrados e mais representativos das suas áreas de intervenção, como é o caso do duo Maria João & Mário Laginha, de Pedro Burmester, Carlos Guilherme, Isabel Alcobia ou do Quarteto de Cordas de Matosinhos, é complementada com a participação de jovens músicos ainda em fase de formação (Camerata de Sopros Silva Dionísio da Escola Superior de Música de Lisboa; Orquestra Jazz da Universidade de Aveiro), e ainda de jovens artistas nacionais em início de carreira, como é o caso clarinetista Horácio Ferreira, vencedor da última edição do Prémio Jovens Músicos, mantendo assim o festival uma colaboração estreita com este prémio, organizado pela RTP/Antena 2.
A presença da Orquestra Filarmonia das Beiras, estrutura profissional da região centro e de quem o Orfeão de Leiria é membro fundador e membro dos corpos sociais, tem como objetivo a aposta na valorizando das estruturas profissionais da região no campo da música.
A importância dada à valorização do património musical português está presente em diversos programa, como são o caso das obras de Mário Laginha, Viana da Mota, Fernando Lopes-Graça, Sérgio Azevedo, Fábio Cachão, Diamantino Faustino, Paulo Perfeito e Carlos Azevedo, assim como da criação contemporânea portuguesa, presente nos espetáculos “Casa do Rio”, da Companhia de Dança de Almada e “Como vim aqui parar” das Escolas de Música e de Dança do Orfeão de Leiria.
O concerto de Abertura do 33º Festival Música em Leiria juntará no mesmo palco uma estrutura profissional da área da Música Clássica, a Orquestra Filarmonia das Beiras, dois dos principais artistas portugueses na área do Jazz, Maria João & Mário Laginha e o Coro do Orfeão de Leiria, daí resultando um cruzamento de géneros musicais e de experiências pessoais e artísticas claramente diferenciadoras.
Também podemos encontrar esta ideia de “Cruzamentos” no programa “Cellostatus & Beatriz Nunes” em que a um ensamble de violoncelos se junta a voz de Beatriz Nunes, vocalista dos Madredeus, unidos pelo prazer de fazer música. Do programa constam arranjos escritos para este ensemble de obras que vão desde o Barroco musical ao repertório romântico, passando por canções de raiz popular de diversos continentes.
O bailado “Casa do Rio”, apresentado pela Companhia de Dança de Almada, com coreografia de Benvindo Fonseca, é fortemente Inspirado na música portuguesa, tendo por base a diversidade da cultura nacional. Há influências dos pauliteiros, da chula, do corridinho do Algarve, do fandango, das danças do Minho, mas inclui também música de Arvo Part.
No concerto do dia 13 de junho, será apresentada uma Gala Lírica, na Igreja do Mosteiro da Batalha, com a soprano Isabel Alcobia e o tenor Carlos Guilherme, acompanhados pela Orquestra Filarmonia das Beiras sob a direção do maestro António Vassalo Lourenço, onde também persiste a ideia de “Cruzamentos”. Este programa cruza repertório lírico que vai do sacro ao popular, atravessando um percurso geográfico e musical que nos leva de Nápoles a Nova Iorque, passando por Madrid, Paris e Londres. Cruzamos a música de Ernesto de Curtis, com a de Caballero, de César Franck e Charles Gounod com a de Andrew Lloyd Webber, Nat King Cole, George Gershwin e Leonard Bernstein.
A proposta programática do 33º Festival “Música em Leiria” (ML) tem ainda objetivos pedagógicos e de captação de novos públicos através da fruição musical pura. A par do impacto imediato resultante do contacto e apreciação de um objeto ou expressão artísticos proporcionados num espetáculo, a programação sustenta, em regra, uma proposta de reflexão e de alargamento do conhecimento individual, de tal modo que a sua ação não se esgota com o fim do espetáculo. Neste sentido, em cada edição do ML a programação é concebida em torno de uma ou várias ideias ou tema(s), capazes de fomentar contrariar no público uma atitude ativa, por oposição à passividade que tantas (ou demasiadas) vezes se encontra presente nos mais diversos domínios da sociedade portuguesa.
Paralelamente, o ML promove uma atitude inclusiva no que respeita à observação das diversas tipologias musicais. Apesar de se centrar num domínio que se designa, convencionalmente, por Música Clássica, a programação encoraja um diálogo efetivo entre diferentes áreas e géneros musicais, alguns deles aparentemente inconciliáveis, esbatendo fronteiras que apenas teoricamente são estanques, bem como desenvolve soluções inovadoras na apresentação das propostas musicais, conferindo-lhes uma leitura de inequívoca contemporaneidade.

OFBeiras03/

Maestro Vassalo Lourenço
Diretor artístico do Festival Música em Leiria


Sem título-1

32º FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA
30 de maio a 28 de junho de 2014

A programação do Festival Música em Leiria 2014 é concebida em torno da ideia do lugar enquanto espaço identitário que emocional e fisicamente ocupamos. Um espaço que é nosso, porque nele nos encontramos e nele imprimimos inexoravelmente a nossa identidade. Mas um espaço que é também do outro, porque este também ali existe. O meu espaço é, ao mesmo tempo, o espaço do outro. Existimos na condição de habitar um espaço que não é só nosso. Um entendimento necessário que cria desafios mas também tensões, gera consensos mas também disputas.
Na nossa essência, tentamos responder ao longo da vida à equação proposta na relação do Eu com aquilo que nos rodeia: o universo, a natureza, o outro. Esta busca permanente e de natureza errante remete-nos à condição de eternos nómadas e, inevitavelmente, obriga-nos à partilha desse espaço em que encontramos o nosso semelhante, também ele par nesta mesma demanda. Partimos à procura de respostas por caminhos pouco percorridos e por nós desconhecidos. Descobrem-se novos mundos, ideias e outros modos de viver, pensar e sentir. Apropriamo-nos disso, oferecendo também aquilo que temos, aquilo que conhecemos. Uma partilha enriquecedora, quando generosa e voluntária.
Sob esta instável condição humana questionamos com frequência a ordem estabelecida. Procuram-se alternativas, entendimentos imponderáveis, acolhem-se saberes e experiências distantes, de que tomamos como se desde sempre nos pertencessem. Projetamos o outro no nosso próprio espaço, entrega que quando incondicional denominamos por amor, também ele, pela sua natureza irracional, indutor, à vez, tanto de plenitude e como de inquietamento.
Deste emaranhado de ideias, por vezes tão contraditórias como a frágil natureza humana, emergem propostas de programação que de alguma forma aqui se reconhecem: desde a improvável incursão da voz de Rita RedShoes no universo percussivo de Nuno Aroso, ao revisitar das origens goesas de duas cantoras portuguesas (PortuGoesas), as sonoridades da América Latina (Camerata Atlântica), ou a energia telúrica celebrada por Igor Stravinsky em A Sagração da Primavera, entre outras propostas.

Miguel Sobral Cid
Diretor artístico do Festival Música em Leiria
Miguel Soral Cid

 

FML201304

FML02

31º FESTIVAL MÚSICA EM LEIRIA
1 a 28 de junho de 2013

A programação de 2013 do Festival Música em Leiria é concebida em torno de dois binómios, ambos constituídos por parcelas aparentemente opostas, mas que se desejam conciliáveis. De um lado, o contraponto entre a tradição e a contemporaneidade, a conversão da convenção (ou daquilo que é convencional) às novas linguagens da criação, promovidas pela investigação e experimentação tecnológicas. Paralelamente, e em tudo relacionado com este espaço dual, a oposição (e interação) entre o rural e o urbano; o campo, enquanto espaço de isolamento e preservação, onde o tempo se dilata, remetendo o Homem à sua expressão mais biológica, mais natural; e a cidade, palco de interceções múltiplas, de acelerada contaminação de ideias e linguagens.

A arte, e consequentemente o artista, enquanto reflexo do todo social, dá resposta, intuitiva e subjetivamente, a estas questões cada vez mais presentes no nosso quotidiano. Também aqui a conciliação dos opostos, de entidades diferentes que se exigem complementares na solução dos grandes mistérios, fica representada na cumplicidade de quem acredita no Outro enquanto estímulo gerador da sua própria força criativa, e que, na prática musical de conjunto, ganha particular significado. Música a dois, a expressão mais simples desta equação, surge relevada ao longo da programação, espelhando metaforicamente a necessidade e possibilidade dessa mesma conciliação, que, afinal, é também a conciliação connosco próprios.

Miguel Sobral Cid
Diretor artístico do Festival Música em Leiria
Miguel Soral Cid

70

Para mais informações:
Orfeão de Leiria | Conservatório de Artes | Avenida 25 de Abril | 2400-265 Leiria
Telefone: 244 829 550 | E-mail: geral@orfeaodeleiria.com


Os comentários estão fechados.