EMOL

MENSAGEM DA DIREÇÃO PEDAGÓGICA DA
EMOL – ESCOLA DE MÚSICA DO ORFEÃO DE LEIRIA | CONSERVATÓRIO DE ARTES


1. O Conservatório de Leiria

A EMOL, Escola de Música do Orfeão de Leiria, é um departamento do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes.
É um Conservatório de Música privado, em nada distinto no que se refere a prerrogativas de ensino e concessão de diplomas das entidades com o mesmo nome «Conservatório» que são propriedade do Estado.
Tem actualmente uma Direção Pedagógica liderada pelo professor Mário Teixeira.
Partir da pequena escolinha de música, orientada pelo Mestre Joaquim Lopes e depois pelo Mestre Manuel Vieira, que tinha sido o sonho do grande dirigente do Orfeão que foi José Neto, entretanto falecido, para uma escola com diversidade de instrumentos e disciplinas, susceptível de se habilitar à outorga por parte do Estado do paralelismo pedagógico, não foi tarefa fácil.
Todavia, constituía um dos objectivos da tríade programática defendida pela Direcção do Orfeão de Leiria eleita em 1983: desenvolvimento do ensino artístico; criação de infraestruturas; existência duma manifestação cultural de referência. A sua realização plena influenciou decisivamente o futuro cultural e cívico da região. O paralelismo pedagógico cuja materialização era essencial para se ministrar o ensino oficial da música veio a ser realidade em Julho de 1990. Neste processo a Direcção do Orfeão contou com inúmeros amigos por todo o lado e o empenho inexcedível da Directora Pedagógica, Dra. Ana Barbosa.
Nesta saga pela construção duma Escola de Música de sucesso, diversa e original, e até hoje, tiveram um papel único, além da professora Ana Barbosa, que teve ainda a assessoria da professora Dinorah Cruz, directores pedagógicos como os professores António e Dulce Neves, Filipa Menezes e Pedro Figueiredo, Paulo Lameiro, Rute Martins e Pedro Rocha, Hedisson Mota, Rita Mendes, António Cardo, Sandra Martins, Mário Teixeira, Neuza Bettencourt, Sofia Rocha e Sónia Leitão e, a colaboração de nomes sonantes da música em Portugal, como a pianista Carla Seixas.
A EMOL tem tido nos últimos anos lectivos cerca de 600 alunos e mais de 50 professores, na actual sede – cerca de 24 salas de aula, três estúdios de dança e um auditório com instalações adequadas. São prioridades actuais do seu Projecto Educativo o ensino pré-escolar e a formação profissional de todos os agentes educativos envolvidos na cadeia do ensino artístico.
Dotada de um Projecto Educativo que a distingue entre todos os conservatórios nacionais, ministra ao momento 23 cursos básicos e complementares: Acordeão, Canto, Clarinete, Contrabaixo de Cordas, Cravo, Fagote, Flauta de Bisel, Flauta Transversal, Formação Musical, Harpa, Oboé, Órgão, Percussão, Piano, Saxofone, Trombone, Trompa, Trompete, Tuba, Guitarra Clássica, Violeta, Violino e Violoncelo.
O primeiro nível de estudos na EMOL é o projecto Zero Cinco, com alunos a partir dos 0 meses de idade, onde a música é ministrada em paralelo com o movimento. Posteriormente os alunos podem optar por diversos regimes de matrícula, articulando ou não o ensino artístico com os seus estudos regulares.
Com um corpo docente altamente habilitado, e depois de inauguradas estas novas instalações em 1997, a Escola de Música do Orfeão de Leiria afirmou-se na região e no país com planos de estudo inovadores, e um amplo conjunto de actividades dinamizadoras da vida cultural na região.

2. O ensino instrumental e o canto

O ensino instrumental abrange todo o leque de instrumentos reconhecidos pelo ensino oficial até aos instrumentos tradicionais portugueses. O canto é também uma das áreas de eleição.
A qualidade do trabalho pedagógico desta instituição é reconhecida em todo o país, e verifica-se objectivamente através da quantidade de alunos e ex-alunos admitidos no ensino superior nacional e estrangeiro, com currícula e percursos artísticos notáveis.
A aposta nos agrupamentos instrumentais e ensembles tem dinamizado não só a escola de música mas a vida cultural da região. Destaca-se a qualidade da nossa Orquestra de Sopros dirigida pelo Maestro Luis Casalinho, o Coro de Câmara dirigido pelo professor Joaquim Branco, a classe de Improvisação com o Prof. Pedro Rocha, o Coro infanto-juvenil, a debutar, dirigido por Rita Pereira e Mário Nascimento, bem como as variadíssimas classes de conjunto em funcionamento.
A Orquestra Barroca de Leiria, com direcção artística do Maestro António Ramos, foi outro dos projectos desta Instituição, em parceria com a Câmara Municipal de Leiria e com o Instituto Politécnico de Leiria, que serviu de estímulo à Orquestra Sinfónica do Orfeão recém criada.

3. O Jazz

Também o Jazz foi uma das áreas deste Conservatório de Música. Tratou-se de uma inovação pedagógica na medida em que foi o único Conservatório do país onde foi possível articular a vertente clássica com a vertente jazz.
Para assegurar a qualidade de ensino nesta área foi estabelecido um protocolo com a Escola de Jazz do Hot Club de Portugal que ministra as disciplinas do Jazz. Esteve também em funcionamento um Atelier de Jazz e Música Improvisada com o contributo do reconhecido músico Carlos Barreto. Atualmente os cursos de jazz funk e rock estão a cargo do prof. André Rocha, este também maestro da Big Band.

4. Viver a música com paixão

O facto de a EMOL ser parte duma instituição que funciona como o clássico «chapéu de chuva», onde a interactividade é uma questão de princípio – Festival de Música, Escola de Dança, Corais, Orquestras, incluindo a Filarmonia das Beiras onde muitos alunos têm debutado como grandes solistas -, confere-lhe um carácter praticamente único no país.
Entende-se aqui que a «chave» para um percurso musical com sucesso, equilibrado e diverso – metodologias como Suzuki, para o ensino do violino, bem como as de Orff, entre outras, asseguram um espectro amplo de oportunidades de aprendizagem -, passa não só pelas condições pedagógicas e infraestruturais adequadas, mas acima de tudo pela criação de uma envolvência musical, dum elevado espírito de exigência interior, de motivação, de fomento e germinação do bom ambiente entre dirigentes e funcionários, professores e alunos, do favorecimento das relações interpessoais e de grupo e no aprender a «viver» a música com paixão e alegria.

É com este espírito que se trabalha no Orfeão de Leiria Conservatório de Artes.


70 Para mais informações:
Escola de Música do Orfeão de Leiria | Conservatório de Artes | Avenida 25 de Abril | 2400-265 Leiria
Telefone: 244 829 550 | E-mail: geral@orfeaodeleiria.com

Os comentários estão fechados.